sábado, 22 de março de 2014

Dicas - Nutrição 1

Como não sou nutricionista não posso falar sobre o assunto. Mas é comum levarmos nas nossas trilha as famosas barrinhas de cereais, que ganharam a companhia também das barras de proteínas e gel energético.
A única coisa que posso te dizer com certeza é que os dois últimos devem vir acompanhados de ingestão de água, pois podem afetar os seus rins.

Vejam os links abaixo e tirem as sua conclusões.

Barra de Cereais

Barra de Proteínas

Suplementos em geral




segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Dicas - Preparação Temporada de Montanhismo - Preparação Física.



Faltam cerca de dois meses para começar a temporada de Montanhismo, e muitos já começam a sonhar com as montanhas, as longas trilhas, acampamentos selvagens (uns nem tão selvagem assim), os belos mirantes e picos. E começam uma espécie de contagem regressiva, pois oficialmente a temporada começa em Maio e vai até Agosto. Isto se deve ao clima e seco, que proporciona uma escassez maior de chuvas, principalmente de tempestades. Só que muitos acabam esquecendo de algo importantíssimo: A preparação física.

Para começar não sou nenhum profissional de educação física. E não estou habilitado para te indicar que série de exercícios para fazer para se preparar. Porém pela minha própria experiência nas matas e montanhas posso te dizer que deve focar mais na parte aeróbica, ou seja, aquelas séries de atividades físicas que visa fortalecer sua resistência e sua capacidades respiratória. Natação, Corrida, Mergulho esportivo ou qualquer outra que force você a praticar exercícios respiratórios é bem vinda. Quando atingimos a cota de 2.000 metros a quantidade de Oxigênio já cai de 95% a 90% do que existe a nível do mar. Como as mais altas montanhas do Brasil podem chegar até a beira dos 3.000 metros é bom se preparar.

Se tivesse que indicar algum esporte eu indicaria a Natação, pois te dá um excelente condicionamento físico e de baixo impacto nas suas articulações. Porém se você não sabe nadar eu só te indicaria se você tivesse com o objetivo de fazer alguma excursão a médio prazo, pois requer que primeiro você aprenda os principais nados, para depois você aperfeiçoar. Além da corrida, qualquer outro esporte que exija uma respiração constantes e controlada é bem vinda. Hoje em dia as academias de musculação possuem aparelhos que visam este tipo de preparação. Procure o seu professor de educação física para que ele possa te orientar. E não se esqueça que antes de começar qualquer prática esportiva você deve procurar um médico. Não despreze a parte muscular também, pois irá carregar bastante peso nas caminhadas mais pesadas.

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Dicas - Cachoeiras, Cabeças D'água e Trombas D'água.

Cachoeira do Poço Verde em Guapimirim/RJ

Introdução:

Vem chegando o verão, o calor já aumenta e o olhar de muitos que antes estavam voltado para a montanha, devido a temporada de inverno, começam a voltar para outros lugares. Procuram as praias, que são fartas no nosso litoral e até mesmo em alguns rios, ou as belas e refrescantes cachoeiras. Suas águas antes insuportáveis devido a sua temperatura baixa, que em nada combina com o frio, começam a se tornar tremendamente agradáveis e sua busca aumenta na mesma proporção.

Porém um perigo também se torna maior a medida que o fim do ano chega. O nome se chama "Cabeça D'água", também conhecida como "Tromba D'água". É uma cheia que ocorre de repente. Ela se desenrola muitas vezes com uma onda que acabou de estourar e sem muitas chances de escapar devido a violência que ela chega as vezes. Mas antes de irmos adiante vamos trabalhar somente com a nomenclatura "Cabeça D'água". Por quê? O nome Tromba D'água também é dado à uma chuva localizada, como uma cachoeira que desce diretamente das nuvens e as vezes acompanhado de redemoinho (semelhante a um tornado, mas sem a sua força), que também é uma das causas da Cabeça D'água. Então para não falarmos que a Tromba D'água causou uma Tromba D'água, que ficaria estranho, vamos usar a outra expressão.


Uma Tromba D'água no Rio de Janeiro

Um exemplo de Cabeça D'água

Suas Causas:

Sua cheia pode ser causada por vários motivos: Abertura de comportas de alguma hidrelétrica, rompimento de barragem e chuvas torrenciais. Esta última é responsável por 99% dos casos de Cabeças D'água e suas variações. Enxurradas e Trombas D'águas são as causas mais comuns. E o que torna mais traiçoeiro é que ela nem sempre ocorrem no local onde você se encontra, ou até mesmo no seu campo de visão. Inclusive nos locais podem estar até com tempo bom. Porém em ambos os casos ocorre devido ao grande acumulo de água rio acima, e que quando você se dá conta pode ser tarde demais.

Prevenção e Sinais:

Bom. E aí? Devido a isso tudo você vai deixar de curtir um bom banho gelado neste Verão? Lógico que não. A probabilidade disso acontecer com você é ridícula. Menos de 1% pode se dizer. A combinação de sol no local onde você está, e da cheia repentina ocorrer rio acima é pequena. Geralmente quando a chuva ocorre em determinado lugar, ocorre em toda a região. Mas se você quer diminuir a chance para praticamente 0% siga algumas dicas:

1) Veja a bacia hidrográfica (conjunto de rios e seus afluentes) da região que você vai em um mapa. Localize o local da cachoeira ou rio que você vai. Procure seguir a linha que o representa, e veja as cidades e regiões por onde ele passa seguindo em direção a sua nascente. Observe também seus afluentes, que são os rios secundários que desembocam nele. Com estas informações veja a previsão do tempo de todos este locais.Verifique os caso de chuva, principalmente com a indicação de pancadas. Caso exista esta possibilidade não vá. A cachoeira não vai sair do lugar. Procure se basear sempre pela previsão do tempo do dia que você vai, que é a mais precisa, ou na pior das hipóteses do dia anterior. Os institutos de meteorologia costumam mudar muito de um dia para o outro suas informações.

2) Procure também sempre ir na parte da manhã. A franca maioria das cheias ocorrem na parte da tarde, devido as pancadas de chuvas que ocorrem nesta parte do dia.

3) Quanto mais próximo da nascente menor o risco de ser surpreendido.

4) Procure os Parques do governo. Sejam eles federal, estadual ou municipal. Procurem orientações. Geralmente quando há grande incidência do fenômeno eles costumam ter um sistema de monitoramento. No Rio de Janeiro, o Parque Nacional da Serra dos Orgãos e do Itatiaia possuem este sistema.

5) Caso optem em não ir aos parques públicos, sigam a orientação dos moradores locais e principalmente os seus alertas. Eles conhecem bem a região e sabem muito bem quando é propenso a ter ou não.

6) Se perceber galhos e folhas na água saia da mesma imediatamente. Isto pode ser sinal de quem vem muita água por aí.

Estas são algumas dicas. Conhece mais alguma? Deixe o seu comentário. Não deixe de curtir as maravilhosas cachoeiras que você já conhece ou deseja conhecer. O convivo com a natureza é sempre um ótimo programa.


quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Dicas: Barracas - Parte 3

Quechuahttp://www.quechua.com/pt-BR/

Uma marca nova para os Brasileiros. De origem Francesa possuem barracas normais e as chamadas "2 seconds" que armam praticamente de forma instantânea. Porém todas elas são submetidas a rigorosos testes de vento e chuva:



Apesar de usar um sistema de classificação diferente das demais, chamado "Teste do Chuveiro" suas barracas tem resistência mínima de 2000 mm para o teste de Coluna D'agua. O que para os padrões brasileiros está de bom tamanho.

O que se tem a falar contra a Quechua? Somente com relação a linha "2 seconds"; Apesar de serem barracas tipo "pop-up", que armam praticamente sozinhas, o seu transporte é um tanto peculiar. Todas elas são guardadas em uma sacola redonda em formato de disco. Não preciso nem mencionar que isso não combina com uma mochila cargueira ou até outra mesmo de menor capacidade. Serve somente se for para uma Camping cuja a distância seja curta ou que você possa parar com o seu carro ao lado do acampamento. Além disso costumam ser um pouco mais pesada que o normal.

The North Facehttp://www.thenorthface.com/en_US/index.html

Talvez sejam consideradas as melhores barracas do mundo. É costume ver suas tendas em lugares de alta montanha, inclusive na região do Himalaia. Mas como eu falei no início destes comentários. Tudo que é muito bom tem um alto preço. E coloca alto nisso. Seus equipamentos em geral são extremamente caros, e você questiona se de fato o investimento neste material vale a pena. Talvez para quem esteja nas classes A e B econômica até vale, mas sinceramente tem boas marcas com produtos de qualidade sem necessariamente ter os preços orbitantes que eles possuem.

Este modelo abaixo é um dos mais em conta. Custa "apenas" US$ 439,00. Imagina. Convertendo para o real e mais os impostos, quanto sairia o preço desta barraca? Em compensação eles se dão ao luxo de excluir o sobreteto e ainda oferecer uma resistência de 3000mm de Coluna D´agua. Mas também por este preço...

Manasluhttp://www.manaslu.com.br/index_inicial.htm

Pouco divulgada e quase um "Cult" entre alguns montanhistas. É a única marca brasileira que eu tenho conhecimento que faz equipamento para alta montanha. Costuma produzir por encomenda. Seus preços devido a este sistema de produção acaba encarecendo também o seu preço final. Mas quem tem rasga elogios e que não fica nada a dever as grandes deste setor. Somente pelo preço.


quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Dicas: Barracas - Parte 2

Trilhas e Rumos - http://www.trilhaserumos.com.br

Os produtos desta empresa é o que tem de patamar mínimo se você deseja ter um equipamento com qualidade. Da cadeia das grandes marcas de qualidade esta empresa é a que possui preços mais em conta. E como tal não seria diferente com as suas barracas em matéria de qualidade.


  Lógico que quando a qualidade aumenta, e a resistência pluviométrica chega a barreira dos 2000 mm de coluna d'agua, que é excelente por sinal, o peso tende a aumenta em consequência disso. A barraca Super Esquilo, que é uma das mais vendidas por sinal, tem 3,8 kg. Entretanto consegue colocar até 3 pessoas dentro dela devido as suas dimensões.


   Representada no Brasil pela Nautika está linha de barracas é mais conhecida no exterior do que no Brasil. Possui um alto padrão de qualidade la´fora. Aqui parece que eles vendem os modelos mais frágeis com resistência de coluna d'água de 800 mm apenas. Lá no exterior eles se orgulham em vender equipamentos com o que eles chama de WeatherTec System Seus tecidos são voláteis e a prova d'água. Seus testes são feitos no chuveiro e em túnel de vento, assim como as barracas da Quechua. Não fornecem classificação de coluna d'água, mas garante a resistência das mesmas em condições adversas.


Ainda pesa contra ela aqui no Brasil, os seus sobre-tetos não serem totalmente extensivos até o chão, o que pode ser um problema como no modelo LX2 acima, que como podem ver se torna vulnerável se a chuva for de contra a entrada da barraca.

Na próxima postagem: Quechua, The North Face e uma marca brasileira muito boa e pouco conhecida dos brasileiros.